Via JUS - página principal
Consulta Processual
Jurisprudência
Notas de Expediente
Artigos
Links
Contato
Webmail Via RS
Via RS - A Internet dos Gaúchos
: ÍNDICE : RODOVIA FERNÃO DIAS - A MAIS VIOLENTA DO BRASIL

SERGIO FRANCISCO FURQUIM - ADVOGADO
furquim@nilf.com.br
OAB/MG 43586

Data: 15/12/2011

RODOVIA FERNÃO DIAS - A MAIS VIOLENTA DO BRASIL

Rodovia Fernão Dias - A Rodovia mais violenta do nosso Brasil

Com a maior malha rodoviária do país, Minas Gerais fica dividida no que diz respeito às condições de trafegabilidade oferecidas a motoristas e passageiros. Segundo a 15ª Pesquisa da Confederação Nacional de Transportes (CNT), feita em 92.747 quilômetros de rodovias pavimentadas brasileiras e divulgada nesta quarta-feira (26), dos 14.176 quilômetros percorridos no território mineiro, 58,5% se encontram em condições regular, ruim ou péssima e 41,5% foram considerados em bom e ótimo estados, ideais para que as pessoas possam viajar mais tranqüilas.

“As rodovias mineiras não têm apresentado melhorias significativas e podem ser classificadas, em uma média geral, apenas como razoáveis. A situação das privatizadas é indiscutivelmente melhor. Prova disso é que Minas vive entre o céu e o inferno em uma mesma rodovia, a BR-381. Se de um lado, é a melhor do estado, do outro, é chamada de Rodovia da Morte”, ressalta o diretor executivo da CNT, Bruno Batista.

A parte da BR-381 (Fernão Dias) entre Belo Horizonte e São Paulo é a única que aparece com conceito ótimo nos quesitos estado geral, pavimento, sinalização e geometria, que foram observados pelos pesquisadores. Na outra ponta, entre a capital e o Vale do Aço, ela é considerada regular em todos os tópicos.

As situações extremas são ainda mais visíveis quando comparados os trechos administrados pelo poder público e os entregues à iniciativa privada. Nos 13.286 quilômetros sob gestão pública, apenas 38,4% foram considerados ótimos e bons. Nos 890 quilômetros sob gestão concessionada, ou seja, trechos privatizados, em que os usuários pagam pedágios, 87,4% estão ótimos e bons.

Dezessete equipes da CNT percorreram o Brasil durante 39 dias, de 27 de junho e 4 de agosto deste ano. Os resultados são por tipo de gestão (pública ou concedida), de rodovia (federais ou estaduais), por região e estados.

A pesquisa não faz um comparativo da evolução das rodovias de Minas entre 2010 e 2011. No Brasil, apenas 12,6% dos trechos foram considerados ótimos no trabalho atual, 30% estão bons, 30,5% regulares, 18,1%, ruins e 8,8% péssimas. No ano passado, 7,1% estavam ótimos, 25,6% bons, 37,6% regulares, 20,5% ruim e 9,5% péssimos.

Foram construídas armadilhas ao longo de nossas estradas. O instrutor de direção defensiva Rogério Mateus é enfático, quando aponta obstáculos aparentemente inocentes ao longo das rodovias que chegam a Belo Horizonte. Obstáculos que são nada menos do que pontos perigosos à espera de muitas vítimas. “Imagine um aeroporto. A pista é limpa. O avião toca o solo, não tem mais nada. Com as estradas acontece o contrário. Põem tanta coisa que até os muros de proteção viram perigo”, afirma Rogério Mateus, mostrando como as muretas de concreto, que dividem as pistas, passam de protetoras a assassinas.

Esta Rodovia tem um alto índice de acidente sendo que a maioria dos acidentes é provocada pelos veiculo de grande porte- Carretas –bi trem , sendo que a maioria das vezes o desrespeito parte dos cegonheiros que não respeita o limite de quilometragem chegando a ultrapassar cerca de 150 km p/h

As maiorias do acidentes acontecem pela imprudência do motorista que não tem sua atenção redobrada.

Podemos constatar de que a maioria dos acidentes ocorrido na rodovia BR 381- Fernão Dias é por mera imprudência do motorista.

Geralmente a maioria dos acidentes é cometida pelos veículos – CARRETA

Um caminhão-cegonha que carregava 11 carros tombou, às 15h55 deste domingo (18), na altura do km 74 da rodovia Fernão Dias, na região de Mairiporã, Grande São Paulo. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o acidente ocorreu após o motorista de o caminhão perder o controle do veículo em uma curva da via.

Também constata de que a Rodovia já estruturada não conta com RADAR, este dispositivo ajuda e muito a conter o abuso por parte dos Motoristas. Enquanto não é instalado o RADAR temos que conviver com acidentes horríveis todos os dias

Acidente com 4 veículos deixa 2 mortos em rodovia de MG

Duas pessoas morreram na madrugada desta quarta-feira após se envolverem em um acidente entre três carretas e um caminhão cegonha na rodovia Fernão Dias (BR-381), que liga Belo Horizonte (MG) à capital paulista. O acidente aconteceu na região de Pouso Alegre (MG).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os veículos pegaram fogo, causando a interdição total da via no sentido São Paulo por mais de 6h. Pela manhã, por volta das 8h, o trânsito foi liberado na rodovia.

ACIDENTE MATA 2 E INTERDITA FERNÃO DIAS EM MG

Cegonheira pegou fogo com 11 veículos

A pista sentido Minas Gerais - São Paulo da Rodovia Fernão Dias (BR-381) estava bloqueada por volta das 6 horas de hoje, 24, no quilômetro 857, na região de Pouso Alegre, no Sul de Minas, devido a um acidente, ocorrido na madrugada de hoje, envolvendo três carretas e um caminhão do tipo cegonha que seguiam em direção à capital paulista. Há carga na pista e registro de pelo menos uma morte, mas nem a concessionária nem a Polícia Rodoviária souberam informar mais detalhes. O caminhão cegonha, que transportava 11 veículos, e uma das carretas envolvidas no acidente, pegaram fogo. Na pista sentido SP-MG o motorista só consegue trafegar pelo acostamento. Segundo a concessionária Autopista, às 6 horas o congestionamento chegava a cinco quilômetros no sentido MG-SP e a quatro quilômetros no sentido contrário. O congestionamento na pista sentido MG-SP só não é maior porque a fila de veículos chega até o trecho onde há um retorno, que está sendo utilizado pelos motoristas, os quais são obrigados a voltar para o interior da cidade.

Caminhão tomba na Fernão Dias e motorista fica preso nas ferragens

Um caminhão cegonha tombou no início da manhã desta quarta-feira (30) na Rodovia Fernão Dias, em Perdões, sentido São Paulo. Até às 10 horas, o motorista permanecia preso às ferragens. No acidente, um dos carros que estava sendo transportado caiu na pista, causando um congestionamento de aproximadamente seis quilômetros, o trânsito está sendo desviado para o acostamento.

Segundo a Polícia Rodoviária um guincho está no local para retirar a carreta. Não há previsão para o trecho ser liberado.

Conheça as histórias e os desafios de quem usa a Fernão Dias

Pela porção mineira da Fernão Dias estão espalhadas histórias de vidas perdidas nos tempos da pista simples, das que se salvaram graças às mudanças e dos abusos que não são freados nem mesmo pela modernização da estrada

Campanha – A equipe do Estado de Minas percorreu 312 quilômetros da Fernão Dias, no trecho entre Belo Horizonte e Campanha, no Sul do estado, para ouvir as histórias de quem usa a rodovia e convive com seus desafios. Pelo caminho, descobriu relatos de mortes que poderiam ter sido evitadas pela duplicação das pistas, e também de vidas salvas pela infra-estrutura atual. Mas constatou também que, por mais segura e bem conservada que seja uma rodovia, a imprudência continua a fazer vítimas.

São histórias como a de Renilda Helena Mesquita, moradora de Campanha, que não contém as lágrimas quando recupera na memória a imagem do filho Adriano Mesquita, caminhoneiro, que morreu aos 27 anos na Fernão Dias já duplicada, próximo ao km 899, depois de bater na traseira de uma carreta, parada na pista sem a devida sinalização. No dia 7, o acidente completou seis anos. “Ainda penso que ele está viajando e que a qualquer hora vai entrar pela porta”, diz a mãe, desolada. O drama de Renilda é grande, pois há 19 anos o marido, José Jorge Mesquita, também morreu em um acidente rodoviário. “Fiquei traumatizada com estradas. As pessoas deveriam respeitar umas as outras no trânsito, deveriam tomar mais cuidado”, sintetiza.

O policial rodoviário federal aposentado Alexandre Dumas Pinheiro, de 57 anos, fiscalizou a BR-381 por 28 anos. Morador de Perdões, na Região Centro-Oeste, conhece casos surpreendentes que ocorriam à época em que a estrada era de pista simples. “Ainda me lembro dos motoristas de uma empresa de ônibus que, ao se cruzarem em uma reta, trocavam de mão só por brincadeira. Um dia, um motorista novato não sabia disso, ficou no mesmo lugar e a batida de frente matou na hora mais de 10 pessoas”, relembra Dumas.

O policial confirma que os acidentes aumentaram depois da duplicação, mas a gravidade caiu. Ele aponta que o crescimento das batidas se deve ao aumento da frota de veículos e à imprudência dos condutores. “O excesso de velocidade não permite qualquer reação frente a um imprevisto e, muitas vezes, causa a colisão frontal, que agora é mais rara”, opina.

Apesar de a estrada estar em boas condições, ainda precisa de reparos. Persistem no traçado, ora marcado pela sinuosidade, ora por longas retas, problemas como pontes e viadutos em curvas e, em alguns trechos, a falta de obstáculos físicos que impeçam um veículo de invadir a contramão.

A Fernão Dias foi duplicada com dinheiro público. As obras, feitas em duas etapas, tiveram início em 1994 e foram concluídas em 2005. O custo do trecho de 485 quilômetros que fica dentro de Minas Gearais girou em torno de R$ 1 bilhão, sendo 50% do Banco Mundial, 25% do governo federal e o restante dividido igualmente entre Minas e São Paulo, conforme informou a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas. A rodovia, por onde passam diariamente 175 mil veículos, considerando também o fluxo paulista, foi concedida a uma empresa privada em 2008, com prazo de 25 anos. Carros de passeios pagam R$ 1,30 de pedágio. São oito praças até a divisa com São Paulo.

VEJA FOTOS: ACIDENTE NA FERNÃO DIAS MATA DOIS POLICIAIS MILITARES

3, março 2011 - 22:13:30

Um acidente na manhã desta quinta-feira (3) na BR-381, rodovia Fernão Dias, matou dois militares e deixou um em estado grave.

O acidente foi por volta de 7h, no trevo de Santo Antônio do Amparo, quando a viatura da Polícia Militar cruzou a pista e bateu de frente com uma carreta.

Os militares eram da 59ª Companhia de Polícia, com sede em Oliveira.

Estavam vindo a Lavras, para uma reunião com o comando do 8º Batalhão.

No acidente morreram no local o subtenente Afonso Ananias da Silva, de 49 anos, comandante do destacamento de Passa Tempo e o sargento Hideraldo Beline dos Santos, de 43 anos, comandante do destacamento de Piracema.

O segundo tenente Diogo Augusto de Oliveira, 26 anos, comandante do Pelotão da PM de Carmópolis de Minas foi socorrido em estado grave e trazido para a Santa Casa de Lavras, onde está internado.

A notícia das mortes e do estado de saúde do tenente Diogo deixou os militares do 8º Batalhão profundamente chocados, pois os policiais envolvidos no acidente já trabalharam em Lavras

Fica aqui uma sugestão:

Porque não construir uma malha ferroviária entre SÃO PAULO- MINAS GERAIS E RIO DE JANEIRO – com a construção da malha ferroviária acabava o descongestionamento do trafego rodoviário em relação aos veiculo de grande porte tais como: CARRETAS – BI-TREM e outros veículos pesados.

Até quando vamos ter que suportar este desrespeito com a vida. Temos que conscientizar nossos motoristas, pedestres e nossa autoridade para que implante imediatamente RADAR em todos os trechos da Rodovia Fernão Dias para ver se os motoristas cegonheiros – bi trem e também os carros de passeios venham a respeitar e ao mesmo tempo evitar novas tragédia.

VAMOS ACORDAR SR. MINISTRO DOS TRANSPORTES.

SÉRGIO FRANCISCO FURQUIM

ADVOGADO

Currículo do articulista:

ADVOGADO/ CONTALISTA

:: Retornar a Listagem de Artigos ::

Artigos
Pesquisa
Artigos recentes
Índice de artigos

Mostrar por página
Informações e sugestões